Google+ Followers

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

TÓPICO FRASAL



TÓPICO FRASAL
No enunciado linguístico existe uma ideia central, ou seja, em todo parágrafo essa ideia existe e recebe o nome de tópico frasal. Geralmente, é expressa por meio de uma ou duas orações, sendo que as demais servem apenas para completar, comentar, explicar e rever a ideia central. Portanto, o tópico frasal é a oração mais importante do todo linguístico.
FORMAS DE DESEVOLVER O TÓPICO FRASAL

1. ENUMERAÇÃO
Quando o recurso que comprova o tópico frasal é dado em ordem (como uma lista). Depois do tópico frasal justifica-se a afirmativa com expressões que levem a uma sequência ou lista (tais como, assim como). É muito parecido com exemplos, pois acabamos listando, mas não é o mesmo que exemplos.

Exemplo - A televisão tem trazido muitos benefícios às pessoas, tais como: informação, diversão, entretenimento, cultura, debates, cursos.

2. DETALHES
Quando o recurso que comprova o tópico frasal é dado com uma descrição de detalhes. Não é como texto descritivo, mas uma descrição que leve à comprovação da afirmação dada no tópico frasal.

Exemplo - Era um casarão das antigas fazendas. Erguia-se em alicerces, o muramento de pedra até meia altura, e dali em diante de pau-a-pique (...) à porta da entrada ia ter uma escadaria dupla, com alpendre e parapeito desgastado. (Monteiro Lobato)

3. CONFRONTO
Usam-se como recursos o confronto de ideias. O autor coloca as duas ideias em seu texto para que seu tópico frasal seja comprovado.

Exemplo - A vida real pode ser ilustrada como no jogo de xadrez, numa relação de pais e filhos, não se pode planejar mais uns poucos lances. Cada jogada depende das reações do outro jogador, assim, as ações precisam ser feitas considerando o que o outro jogador fez diante de sua jogada anterior.

4. RAZÃO
Quando aproveitamos dados científicos (ou senso comum) que comprovam nossa afirmação (como, por exemplo, as referencias bibliográficas).

Exemplo – As adivinhações agradam as crianças. Para isso é necessário apenas observar como elas se encantam diante de uma história de adivinhar bem apresentada.

5. ANÁLISE
Quando procuramos comprovar nosso tópico frasal com análises. Geralmente é a decomposição do que foi apresentado em pequenas partes. Desdobramos a idéia com qualidade e defeitos, pontos positivos e negativos, ou apenas um deles.

ExemploO peão não é cruel com o cavalo. Pois ele é carinhoso e atencioso com o animal para que consiga domá-lo.

6. EXEMPLIFICAÇÃO
Quando procuramos comprovar nosso tópico frasal com exemplos que convençam.

Exemplo – A imaginação utópica é inerente ao homem, sempre existiu e continuará existindo. Sua presença é constante em diferentes momentos históricos: nas sociedades primitivas sobre a forma de lendas e crenças que apontam para um lugar melhor; nas formas de pensamento religioso que falam de um paraíso a alcançar; nas teorias de filósofos que pregam uma convivência mais justa e harmoniosa. (Teixeira Coelho, adaptado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário