Google+ Followers

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Avaliação de Língua Portuguesa - 8ª série

                                                       Avaliação de Língua Portugiesa

                                      Tropeços - A graça e a lógica de certos enganos da fala

        O compenetrado pintor de paredes olhou as grandes manchas que se expandiam por todo o teto do banheiro do nosso apartamento, as mais antigas já negras, umas amarronzadas, outras esverdeadas, pediu uma escada, subiu, desceu, subiu, apalpou em vários pontos e deu seu diagnóstico:
        - Não adianta pintar. Aqui tem muita "humildade".
        Levei segundos para compreender que ele queria dizer "umidade". E consegui não rir.    Durante a conversa, a expressão surgiu outras vezes, não escapara em falha momentânea.
Há palavras que são armadilhas para os ouvidos, mesmo de pessoas menos humildes. São captadas de uma forma, instalam-se no cérebro com seu aparato de sons e sentidos - sons parecidos e sentidos inadequados - e saltam frescas e absurdas no meio de uma conversa. são enganos do ouvido, mais do que da fala. como o tropeção de uma pessoa de boas pernas não é um erro do caminhar, mas do ver.
        Resultam muitas vezes formas hilárias. O zelador do nosso prédio deu esta explicação por não estar o elevador automático parando em determinados andares:
        - O computador entrou em "pânico".
        Não sei se ele conhece a palavra "pane". Deve ter sido daquela forma que a ouviu e gravou. Sabemos que é "pane", ele assimilou "pânico" - a coisa que nomeamos é a mesma, a comunicação foi feita. Tropeço também é linguagem.
        O cheque bancário é frequentemente vítima de um tropicão desses. Muita gente diz, no final de uma história de esperteza ou de desacordo comercial, que mandou "assustar" um cheque. Pois outro dia encontrei alguém que mandou "desbroquear" o cheque. Linguagens... Imagino a viagem que a palavra "desbroquear" fez na cabeça da pessoa: a troca comum do "l" pelo "r", a estranheza que se seguiu, o acréscimo de um "n" e aí, sim, a coisa ficou parecida com alguma coisa, bronca, desbronquear, sem bronca. Muitas palavras com status de dicionário nasceu assim.
        Já ouvi de um mecânico que o motor do carro estava "rastreando", em vez de "rateando".  Talvez a palavra correta lhe lembrasse rato e a descartara como improvável. "Rastrear" parecia melhor raiz, traz aquela ideia de vai e volta e vacila e vacila, como quem segue um rastro...   Sabe-se lá. Há algum tempo, quando eu procurava um lugar pequeno para morar, o zelador mostrou-me um quarto-e-sala "conjugal". Tem lógica, não? Muitos erros são elaborações. Não teriam graça se não tivesse lógica.
        A personagem Magda, da televisão, nasceu deles. Muito antes, nos anos 70, um grupo de jornalistas, escritores e atores criou o Pônzio, personagem de mesa de bar que misturava os sentidos das palavras pela semelhança dos sons. Há celebridades da televisão que fazem isso a sério. Na casa dos Artistas, uma famosa queria pôr um "cálcio" no pé da mesa. U&ma estrela da Rede TV! falou em "instintores" de incêndio. A mesma disse que certo xampu tinha"Ph.D. neutro.
        Estudantes e candidatos à universidade também tropeçam nos ouvidos. E não apenas falam, mas registram seus equívocos. Nas provas de avaliação do ensino médio aparecem coisas como " a gravides do problema", "micro-leão-dourado" e, este é ótima, "raios ultraviolentos".
        Crianças cometem coisas tais, para a delícia dos pais. O processo é o mesmo: ouvir, reelaborar, inserir lógica própria e falar. Minha filha pequena dizia "água solitária", em vez de "sanitária". A sobrinha de uma amiga, que estranhava a irritação mensal da tia habitualmente encantadora, ouviu desta uma explicação que era quase uma desculpa e depois a repassou para a irmã menorzinha:
        - A tia Pat está "misturada".

 (ANGELO, Ivan. tropeços; a graça e a lógica de certos enganos. Veja, São Paulo, 23 abr. 2003)
 
1. Qual a causa das confusões que as personagens do texto fazem com as palavras? Coloque V para as alternativas verdadeiras e F para as falsas:
( ) As brincadeiras com as palavras
( ) Palavre as com sons semelhantes, mas significados diferentes.
( ) Desconhecimento do significado de algumas palavras.
( ) Falta de atenção na hora de falar.

2. Explique a seguinte frase, dita pelo narrador do texto:
" Ha palavras que são armadilhas para os ouvidos..."
________________________________________________________

3. Cite pelo menos duas "armadilhas para os ouvidos" citados no texto acima.

__________________________________________________________

4. Releia o trecho do texto, depois reeescreva os termos em negrito com as expressões que deveriam ser empregadas:
" Nas provas de avaliação do ensino médio apareceram coisas como " a gravidez do problema" , "micro-leão-dourado" e, esta é ótima, "raios ultraviolentos".

________________________________________________________________

5. Qual o tipo de narrador e em que pessoa foi narrada a história?
__________________________________________________________________


6. Leia as orações a seguir, depois assinale a alternativa que contenha a correta função sintática de cada termo:
I - "O compenetrado pintor de paredes olhou as grades manchas..."
II - " Durante a conversa, a expressão surgiu outras vezes..."
III - " Já ouvi de um mecânico que o motor do carro estava "rastreando"..."
IV - " Minha filha pequena dizia "água solitária...."
 

a) Complemento Nominal - Aposto - Objeto Direto - Adjunto Adnominal.
b) Complemento Nominal - Adjunto adverbial - Sujeito - Adjunto Adnominal
c) Objeto Direto - Adjunto Adnominal - Sujeito - Vocativo.
d) Objeto Indireto - Aposto - Adjunto Adnominal - Sujeito

7. Preencha os espaços utilizando uma das alternativas dos par~enteses:
a) Nunca _____________ sairei contigo! (MAIS/MAS)
b) Adoramos cinema, __________ preferimos teatro.(MAIS/MAS)
c)_______________ você vai agora, menino? (AONDE/ONDE)
d)_______________ eu moro tem muitas árvores e flores. (AONDE/ONDE)

8. Leia: - Fessora a sinhora ia mi castigá pur arguma coisa que eu num fiz?
- Claro que não Chico!
- Inda bem, fessora pruque eu num fiz a lição di casa, hoji.
( Chico Bento - Maurício de Sousa)

a) Classifique quanto à voz verbal: _______________________________
b)Retire do texto um sujeito simples_____________________________
c) Um adjunto advervbial____________________________________

9. Classifique os verbos destacados quanto à transitividade:
a) O zelador do nosso prédio deu esta explicação. ________________________
b)Clarice gostava de sorvete de morango._____________________________

10.. Leia as orações abaixo, depois diga a classe gramatical das palavras destacadas.
a) "Durante a conversa, a expressão surgiu outras vezes..."
b) " Talvez a palavra correta lhe lembrasse rato e a descartara como improvável."
c) " celebridades da televisão..."
d)".... que fazem isso a sério."



11.  Complete com ou A:
a)      O livro chegou _____ um mês?
b)      _____dias ele está viajando?
c)      Partirei daqui ____ uma semana.
d)      Daqui ____ três dias, verei um amigo que conheço _____ vinte anos.

12.  Empregue adequadamente MAU – MAL - MÁ:
a) A poluição é um grande _______ para saúde.
b) O ______ hábito alimentar prejudica a saúde
c) Uma _____ filha será uma _______ esposa.
d) O _______ nem sempre vence o bem


13. Complete as frases fazendo a concordância adequada.

a)  A porta ____________ aberta deixava ver a destruição que fizeram na casa. (meio)

b)  É ________________ a entrada de estrangeiros nos Estados Unidos. (proibido)

c) A velha senhora, salva da guerrilha, nem ao menos disse “ muito ________________”. (obrigado)

d) Canhões e armas ________________________ causam destruição. (americano)

14. Assinale a alternativa em que o termo destacado é adjunto adnominal:

a) Não tenho medo de escuro.
b) O amor de Deus é o primeiro mandamento.
c) Poucos alunos vieram à nossa reunião.
d) Percorremos uma longa estrada de terra.


15. Use a crase quando for necessário:

a)Irei ___pé ___casa de Mário.
b)Nosso médico só atende das 8:00___10:00 horas.
c) Vou ___ escola de ônibus.
d)___ vezes se praticam crimes ___ claras.


16.  Relacione as frases de acordo com a circunstância estabelecida por cada adjunto adverbial:

a.     Os alunos se prepararam para a prova.
b.     Não conheço os segredos da vida.
c.     Talvez viaje nas férias.
d.     Ontem perdi a hora da escola.
e.     O policial observava o bandido a distância.

      (     ) adjunto adverbial de lugar.
      (     ) adjunto adverbial de dúvida.
      (     ) adjunto adverbial de tempo
      (     ) adjunto adverbial de finalidade.
      (     ) adjunto adverbial de negação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário