Google+ Followers

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Interpretação de poemas - 6º ano.




Exercício de interpretação
Texto 1    Cidadezinha cheia de graça
 Cidadezinha cheia de graça                                         
 Tão pequenina que até cauda dó!                             
Com seus burricos a pastar na praça...
Sua igrejinha de uma torre só...

Nuvens que venham, nuvens e asas,
Não param nunca nem um segundo...    
E fica a torre, sobre as velhas casas,
Fica cismando como é vasto o mundo!...  

Eu que de longe venho perdido,
Sem pouso fixo ( a triste sina!)
Ah, quem me dera ter lá nascido!

Lá toda vida pode morar!
Cidadezinha... Tão pequenina
Que toda cabe num só olhar...

QUINTANA, Mario. Prosa & verso. Porto Alegre: Globo, 1978. P.5-6.

cismar: pensar, imaginar
Sina: sorte, destino

Mário Quintana (1906-1994) nasceu em Porto Alegre e ficou conhecido como o “poeta das coisas simples”. Ele contava que escrevia poesia porque simplesmente sentia vontade. Além de poemas, escreveu contos e crônicas. Ao longo de sua vida, trabalhou em vários jornais. O conjunto de sua obra recebeu o Prêmio Machado de Assis em 1980.


Texto 2          Cidadezinha qualquer
Casas entre bananeiras
Mulheres entre laranjeiras
Pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.

Devagar...as janelas olham.

Eta vida besta, meu Deus.

ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia completa & prosa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1987. P.22.


Texto 1    Cidadezinha cheia de graça
1.     Cidadezinha cheia de graça é um soneto. Esse nome deriva do italiano sonetto, que significa “pequeno som”. Os sonetos são composições poéticas de catorze versos, dispostos em dois quartetos (estrofes de quatro versos) e dois tercetos (estrofes de três versos) e que possuem grande musicalidade.
a.    Leia-o em voz alta e responda: o que o torna tão musical?
b.    Tendo em vista esse poema, defina o que é um verso e o que é uma estrofe.
c.    Quem é o eu lírico do poema?
d.    Em que estrofe há palavras que explicitamente o denunciam?
e.    Como a cidade é vista pelo eu lírico?
f.    Na cidade, um elemento também parece ver o mundo, Que elemento é esse?
g.    Explique o verso: “ Fica cismando como é vasto o mundo!...”
h.    Explique que tipo de sentimento exprimem o uso dos diminutivos cidadezinha, pequenina, burricos, igrejinha.

Texto 2          Cidadezinha qualquer
1.     O que sugere o título Cidadezinha qualquer ?
2.    O poeta descreve uma cidadezinha.
a.    Que elementos ele seleciona para descrevê-la?
b.    Esses elementos são suficientes para nos transmitir um retrato dela? Justifique sua resposta.
c.    Que palavras do texto Cidadezinha cheia de graça serviram para descrever a cidadezinha de Drummond?
3.    Que efeito produz a repetição da palavra devagar na segunda estrofe?
4.    Leia:
“Devagar...as janelas olham.”
a.    Relacione esse verso a uma passagem do poema Cidadezinha cheia de graça.
b.    O que podemos entendem quando o poeta diz que as janelas olham?
5.    Há um eu lírico que, de alguma forma, se manifesta no poema? Explique.

Sugestão: Professor(a), É necessário para melhor compreensão dos poemas que apresente a turma alguns dos recursos da linguagem poética, como: personificação ou prosopopeia, comparação e metáfora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.