Google+ Followers

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Homem não chora



           HOMEM NÃO CHORA


                     
                          1                      
Meu pai chegou bravo do serviço.
Eu saí de perto.
Ele subiu para o quarto, minha mãe foi atrás.
Era um daqueles dias.
Eu sabia que ia ouvir gritos.
Socos na porta do guarda-roupa.
Senti vontade de chorar.
Mas não chorei. Porque...

___________________________________
                  
                     2
Meu  pai  tinha sido despedido do emprego.
O jantar foi silencioso.
Todo mundo comeu pouco e fomos logo dormir.
Mas o sono não vinha.
Revirei-me  setecentas e trinta e oito vezes na cama.
Então, eu chorei. Bem baixinho.
Eu tentei segurar, mas não deu.
___________________________________
        
                      3
Aí eu ouvi um barulho lá embaixo.
Tomei coragem e desci.
Alguém estava chorando.
Era meu pai.
Sentado, sem jeito, na cozinha.
Parecia uma criança. Sem pensar, eu sentei
no colo dele.
Ficamos assim um tempão.
E  eu só consegui sussurrar:

___________________________________
                
                  4
De manhã, ele parecia outro.
Rude, nem disse tchau quando saiu.
Eu olhei bem para ele.
Não era mais uma criança.
Era um homem bravo.
Bravo com o mundo.
E foi aí que eu achei
Que tinha sido tudo um sonho.
Eu pensei:
Eu não sentei no colo dele...
Ele não chorou...
___________________________________ 
            


                  5
Na escola, parecia que eu nem estava lá.
Não prestei atenção em nada.
Não conseguia esquecer:
os soluços...a mão dele segurando
a minha com força.
Fiquei de novo com os olhos molhados,
Querendo pingar.
Mas eu segurava e me dizia:
___________________________
                      
                    6
De noitinha, eu fiquei pensando.
Ele ia voltar e ia acontecer de novo a brigalhada.
Aí eu ouvi o barulho do carro. Parou.
Desligou o farol. Abriu a porta...
E meu pai entrou em casa com um sorriso
deste tamanhão.
E com lágrimas escorrendo pela cara.
“Mas não é possível”, eu pensei,
_______________________________


                     7
Ele tinha achado emprego, até melhor!
E estava feliz. E chorando.
E eu não entendia mais nada.
Ele abraçou. Beijou minha mãe.
E foi o jantar mais feliz daquela copa-cozinha.
Eu ria. Mas a minha cabeça estava
em confusão:
___________________________                       
                     
                         8
E aí eu resolvi perguntar para eles.
E os dois, abraçados, me contaram que chorar
não é defeito.
Serve para acalmar.
Para pôr a tristeza para fora.
E a alegria para dentro.
Que bom!
E  que os lobos, quando estão tristes, uivam para a lua.
Os pássaros voam sem parar.
Os peixes nadam no escuro. Mas...
_______________________________________

Flávio de Souza é formado em Artes Plásticas, teatro, literatura, dança, canto... Flávio é um verdadeiro artista e leva vida de artista em São Paulo, onde mora e trabalha. Cria e escreve roteiros de TV e livros infantis e juvenis.


Complete o texto adequadamente usando as frases:

Homem, não. Chora.                 Homem não chora.

Homem não chora...                 Homem  não chora?

Homem não chora!                   Seja homem. Não chora!

Homem não chora!                  Homem... não! Chora?


EXERCÍCIO RESOLVIDO

Texto: Homem não chora


              1
Meu pai chegou bravo do serviço.

Eu saí de perto.
Ele subiu para o quarto, minha mãe foi atrás.
Era um daqueles dias.
Eu sabia que ia ouvir gritos.
Socos na porta do guarda-roupa.
Senti vontade de chorar.
Mas não chorei. Porque...
Homem não chora.

            2
Meu  pai  tinha sido despedido do emprego.
O jantar foi silencioso.
Todo mundo comeu pouco e fomos logo dormir.
Mas o sono não vinha.
Revirei-me  setecentas e trinta e oito vezes na cama.
Então, eu chorei. Bem baixinho.
Eu tentei segurar, mas não deu.
Homem  não chora?

           3
Aí eu ouvi um barulho lá embaixo.
Tomei coragem e desci.
Alguém estava chorando.
Era meu pai.
Sentado, sem jeito, na cozinha.
Parecia uma criança. Sem pensar, eu sentei
no colo dele.
Ficamos assim um tempão.
E  eu só consegui sussurrar:
Homem não chora!

         4
De manhã, ele parecia outro.
Rude, nem disse tchau quando saiu.
Eu olhei bem para ele.
Não era mais uma criança.
Era um homem bravo.
Bravo com o mundo.
E foi aí que eu achei
Que tinha sido tudo um sonho.
Eu pensei:
Eu não sentei no colo dele...
Ele não chorou...
Homem não chora!

            5
Na escola, parecia que eu nem estava lá.
Não prestei atenção em nada.
Não conseguia esquecer:
os soluços...a mão dele segurando
a minha com força.
Fiquei de novo com os olhos molhados,
Querendo pingar.
Mas eu segurava e me dizia:
Seja homem. Não chora!

           6
De noitinha, eu fiquei pensando.
Ele ia voltar e ia acontecer de novo a brigalhada.
Aí eu ouvi o barulho do carro. Parou.
Desligou o farol. Abriu a porta...
E meu pai entrou em casa com um sorriso
deste tamanhão.
E com lágrimas escorrendo pela cara.
“Mas não é possível”, eu pensei,
Homem não chora...

         7
Ele tinha achado emprego, até melhor!
E estava feliz. E chorando.
E eu não entendia mais nada.
Ele abraçou. Beijou minha mãe.
E foi o jantar mais feliz daquela copa-cozinha.
Eu ria. Mas a minha cabeça estava
em confusão:
Homem... não! Chora?
  
        8
E aí eu resolvi perguntar para eles.
E os dois, abraçados, me contaram que chorar
não é defeito.
Serve para acalmar.
Para pôr a tristeza para fora.
E a alegria para dentro.
Que bom!
E  que os lobos, quando estão tristes, uivam para a lua.
Os pássaros voam sem parar.
Os peixes nadam no escuro. Mas...
Homem, não. Chora.
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário