Google+ Followers

domingo, 17 de março de 2013

Simulado de Língua Portuguesa



01. (ITA) Assinale a figura de linguagem predominante no seguinte trecho:

A engenharia brasileira está agindo rápido para combater a crise de energia.

(A) Metáfora.
(B) Metonímia.
(C) Eufemismo.
(D) Hipérbole.
(E) Pleonasmo.

02. (ITA) Leia o seguinte trecho com atenção:

Iniciamos a jornada, uma jornada sentimental, seguindo as regras estabelecidas. Os cavalos pisavam tão macio, tão macio que parecia estarem calçados de sapatilhas. A rigor não pisavam. Faziam cafuné com as patas delicadas ao longo do caminho. (OLIVEIRA, Raymundo Farias de. Na madrugada do silêncio. Linguagem Viva, n° 142. São Paulo, jun. 2001, p. 2.)
O confronto das frases "Os cavalos pisavam" e "A rigor não pisavam" concretiza:

(A) um desmentido.
(B) uma indecisão.
(C) uma ironia.
(D) uma contradição.
(E) um reforço.

Texto para as questões 03 e 04

Antônio. Assim se chamava meu pai, vindo de Piracicaba, cidade do interior de São Paulo. (...) Foi saco de pancada quando pequeno, pois meu avô paterno levava ao exagero a filosofia do "quem dá o pão dá o ensino". No entanto nunca se referiu de maneira rancorosa a esses castigos, nem achou necessário desforrar-se em mim do tanto que havia apanhado. Quando as coisas não lhe agradavam, preferia gargalhar num jeito muito seu, que lembrava bola de pingue-pongue descendo lentamente uma escada. Duas vezes apenas botou de lado esse tipo de reação. (Mário Lago, Na rolança do tempo)

03. (FUVEST) Considere as seguintes afirmações:

I. A frase "quem dá o pão dá o ensino" é a que apresenta marcas mais visíveis do gênero narrativo, ao qual pertence o texto.
II. Em "nem achou necessário" expressa-se juízo subjetivo do narrador.
III. A expressão "duas vezes apenas", na última frase, aponta para exceções que confirmam a validade de uma regra habitual formuladas na frase anterior.

Em relação ao texto, está correto afirmar em

(A) I.
(B) II.
(C) III.
(D) I e II.
(E) II e III.

04. (FUVEST) O autor estabelece uma comparação entre

(A) seu pai e seu avô, distinguindo o modo pelo qual cada um extravasava a euforia.
(B) seu pai e seu avô, buscando neles traços comuns de temperamento e de personalidade.
(C) a gargalhada de seu pai e a queda da bola de pingue-pongue, com base nos estímulos visuais provocadas por ambas.
(D) a gargalhada de seu pai e a queda da bola de pingue-pongue, com base no mesmo efeito cômico que ambas provocam.
(E) a gargalhada de seu pai e a queda da bola de pingue-pongue, com base em impressões de ritmo e de andamento.

Texto para as questões de 5 a 8

A característica da relação do adulto com o velho é a falta de reciprocidade que se pode traduzir numa tolerância sem o calor da sinceridade. Não se discute com o velho, não se confrontam opiniões com as dele, negando-lhe a oportunidade de desenvolver o que só se permite aos amigos: a alteridade, a contradição, o afrontamento e mesmo o conflito. Quantas relações humanas são pobres e banais porque deixamos que o outro de expresse de modo repetitivo e porque nos desviamos das áreas de atrito, dos pontos vitais, de tudo o que em nosso confronto pudesse causar o crescimento e a dor! Se a tolerância com os velhos é entendida assim, como uma abdicação ao diálogo, melhor seria dar-lhe o nome de banimento ou discriminação. (Ecléa Bosi, Memória e Sociedade - Lembranças de Velhos)

05. (FUVEST) Na avaliação da autora, o que habitualmente caracteriza a relação do adulto com o velho é

(A) o desinteresse do adulto pelo confronto de idéias, expressando uma tolerância que atua como discriminação do velho.
(B) uma sucessão de conflitos, motivada pela baixa tolerância e pela insinceridade recíprocas.
(C) a inconsequência dos diálogos, já que a um e a outro interessa apenas a reiteração de seus pontos de vista.
(D) o equívoco do adulto, que trata o velho sem considerar as diferenças entre a condição deste e a de um amigo mais próximo.
(E) a insinceridade das opiniões do adulto, nas quais manifestam sua divergência e sua impaciência.

06. (FUVEST) Considerando-se que o sentido do conjunto do texto, é correto afirmar que

(A) as palavras "crescimento" e "dor" são utilizadas de modo a constituírem um paradoxo.
(B) as palavras "alternativa", "contradição", "afrontamento" e "conflito" encadeiam-se numa progressão semântica.
(C) a expressão "abdicação do diálogo" tem significação oposta à de expressão "tolerância sem o calor da sinceridade".
(D) a expressão "o que só se permite" está empregada com o sentido de "o que nunca se faculta".
(E) a expressão "nos desviamos das áreas de atrito" está empregada com o sentido oposto ao da expressão "aparamos todas as arestas".

07. (FUVEST) O termo alteridade liga-se, pelo radical e pelo sentido, a uma palavra que aparece no trecho:

(A) falta de reciprocidade.
(B) não se confrontam opiniões.
(C) que o outro se expresse.
(D) nos desviamos das áreas de atrito.
(E) abdicação do diálogo.

08. (FUVEST) A frase em que a palavra sublinhada preserva o sentido com que foi empregada no texto é:

(A) Na mais sumária relação das virtudes humanas não deixará de constar a sinceridade.
(B) Sobretudo os pobres sentem o peso do que seja banimento ou discriminação.
(C) É por vezes difícil a discriminação entre tolerância e menosprezo.
(D) Enfrentar a contradição é sempre um grande passo para o nosso crescimento.
(E) Se traduzir é difícil, mais difícil é o diálogo entre pessoas que se mascaram na mesma língua.

09. (PUCCAMP) Considere as afirmações que seguem:

I. As vantagens tributárias foram usadas como argumento para convencer o receptor de que a Previdência BBV é a melhor opção.
II. O "inverno", cujo sentido próprio lembra o tempo frio e difícil de permitir o trabalho que garante o sustento, é metáfora da velhice, sentido explorado no texto publicitário.
III. Entre os jogos de palavras que ocorrem no texto, ressalta o estabelecido pelos diferentes sentidos da palavra "presente".

De acordo com o texto, está correto o que se afirma em:

(A) I, somente.
(B) III, somente.
(C) I e II, somente.
(D) II e III, somente.
(E) I, II e III.

10. (PUC) No texto apresentado, o uso repetitivo da expressão verdes mares e os verbos serenai e alisai, indicadores de ação do agente natural, imprimem ao trecho um tom poético apoiado em duas figuras de linguagem:

(A) anáfora e prosopopeia.
(B) pleonasmo e metáfora.
(C) antítese e inversão.
(D) apóstrofe e metonímia.
(E) metáfora e hipérbole
GABARITO:
1.       B                 8. D
2.       E                 9. E
3.       E                10. A
4.       E
5.       A
6.       B
7.       C

Nenhum comentário:

Postar um comentário