Google+ Followers

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Avaliação de Língua Portuguesa – I UNIDADE


Avaliação de Língua Portuguesa – I UNIDADE

01. No ano passado, o governo promoveu uma campanha a fim de reduzir os índices de violência. Notificando o fato, um jornal publicou a seguinte manchete:

Campanha contra a violência do governo
do Estado entra em nova fase.

A manchete tem um duplo sentido, e isso dificulta o entendimento. Considerando o objetivo da notícia, esse problema poderia ter sido evitado com a seguinte redação:

a)      Campanha contra o governo do Estado e aviolência entram em nova fase.
b)     Campanha do governo do Estado contra a violência entra em nova fase.
c)      A violência do governo do Estado entra em nova fase de Campanha.
d)     Campanha contra o governo do Estado entra em nova fase de violência.

    02. Em “Queria que me ajudasses”, o trecho destacado pode ser substituído por:

a) a tua ajuda
b) a ajuda de vocês
c) a sua ajuda
d) a ajuda deles

03. A ausência de uma pontuação adequada implica tão somente na falta de clareza da mensagem. Com base nessa premissa, indique a função da vírgula na mensagem abaixo:

a) É usada para indicar supressão de um trecho, interrupção ou dar ideia de continuidade ao que se estava falando.
b) É usado ao final de frases para indicar uma pausa total e em abreviaturas.
c)Para separar itens ou termos, vocativo, aposto, separar expressões explicativas, conjunções e conectivos.
d) É usado quando se vai fazer uma citação ou introduzir uma fala, se quer indicar uma enumeração.
e)Formular perguntas diretas, indicar surpresa, expressar indignação ou atitude de expectativa diante de uma determinada situação

Analise os textos.
TEXTO 1
 
TEXTO 2:   ERRO DE PORTUGUÊS                                                                                              Oswald de Andrade

Quando o português chegou
Debaixo duma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de Sol
O índio tinha despido
o português.

04. Sobre os textos acima, analise os seguintes enunciados.


I. Os dois textos argumentam a favor da parcialidade da História. Na verdade, os indivíduos, os grupos sociais veem os fatos desde suas próprias perspectivas culturais.
II. Na charge, as observações dos dois tripulantes coincidem quanto à natureza dos objetos percebidos.
III. O poema traz à tona uma hipótese: a inversão de um fato histórico.
IV. A forma verbal que dá início ao 5º verso do poema tem um valor hipotético.
V.Na charge, a linguagem utilizada é a coloquial.

Estão corretos apenas:
(a)I – II - III                 (b)  II – III – IV - V                     (c)   I – III - V    
(d)III e IV                     (e)  Apenas a V

Texto: ALÉM DA IMAGINAÇÃO

Tem gente passando fome. E não é a fome que você imagina entre uma refeição e outra.
Tem gente sentindo frio. E não é o frio que você imagina entre o chuveiro e a toalha.
Tem gente muito doente. E não é a doença que você imagina entre a receita e a aspirina.
Tem gente sem esperança. E não é o desalento que você imagina entre o pesadelo e o despertar.
Tem gente pelos cantos. E não são os cantos que você imagina entre o passeio e a casa.
Tem gente sem dinheiro. E não é a falta que você imagina entre o presente e a mesada.
Tem gente pedindo ajuda. E não é aquela que você imagina entre a escola e a novela.
Tem gente que existe e parece imaginação.
                                                                                       TAVARES, Ulisses, 1977.

05. No final desse texto, a expressão “parece imaginação” sugere que as pessoas muito necessitadas:
(a) precisa de ajuda material.
(b) são socialmente invisíveis
(c) provocam sentimento de culpa.
(d) sobrevivem aos problemas.

06. A que tipo de interlocutor o eu lírico do poema se dirige
(a) aos governantes
(b) aos empresários
(c) aos jovens
(d) as ONG’s

Leia o texto para responder à questão 07 e 09.

Quanto veneno tem nossa comida?

Desde que os pesticidas sintéticos começaram a ser produzidos em larga escala, na década de 1940, há dúvidas sobre o perigo para a saúde humana. No campo, em contato direto com agrotóxicos, alguns trabalhadores rurais apresentaram intoxicações sérias. Para avaliar o risco de gente que apenas consome os alimentos, cientistas costumam fazer testes com ratos e cães, alimentados com doses altas desses venenos. A partir do resultado desses testes e da análise de alimentos in natura (para determinar o grau de resíduos do pesticida na comida), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabelece os valores máximos de uso dos agrotóxicos para cada cultura. Esses valores têm sido desrespeitados, segundo as amostras da Anvisa. Alguns alimentos têm excesso de resíduos, outros têm resíduos de agrotóxicos que nem deveriam estar lá. Esses excessos, isoladamente, não são tão prejudiciais, porque em geral não ultrapassam os limites que o corpo humano aguenta. O maior problema é que eles se somam – ninguém come apenas um tipo de alimento.
                                                                 (Francine Lima, Revista Época, 09.08.2010)



07. Em – Esses valores têm sido desrespeitados, "SEGUNDO" as amostras da Anvisa. – a expressão destacada pode ser substituída, sem alteração de sentido, por

(a) por isso.
(b) conforme.
(c) logo.
(d) no entanto.
(e) tanto que.

08. “...porque em geral não ultrapassam os limites que o corpo humano aguenta.”  A expressões "porque" estabelecem, correta e respectivamente, relação de:
(a) modo.
(b) causa.
(c) consequência.
(d) explicação.
(e) conclusão

09. Qual é a ideia básica apresentada no primeiro parágrafo?
(a) As graves intoxicações sofridas por trabalhadores rurais.
(b) As dúvidas sobre o real perigo causado pelos pesticidas à saúde humana.
(c) A importância dos agrotóxicos para uma agricultura orgânica.
(d) Os testes realizados pela ANVISA em ratos e cães.
(e) A atuação da ANVISA na cultura de produtos orgânicos

10. Analise o trecho:“A dureza da vida dessas crianças não deixa nenhum lugar ao amor. Assim que elas nos encontram, é muito difícil fazê-las compreender que nós agimos somente para o interesse delas, pelo amor por elas.” A propósito dos pronomes sublinhados, podemos dizer que:
(A) concordam com “dureza da vida” .
(B) são exemplos de coesão referencial anafórica
(C) são exemplos de coesão referencial catafórica(D) deixam o trecho com muita ambiguidade.
 

11. Leia a charge

No contexto apresentado, o personagem expressa-se informalmente. Se sua frases fosse proferida em norma padrão da língua, assumiria a seguinte redação;


(a) Fazemos o seguinte: a gente ressuscita o Bin Laden e lhe matamos de novo.
(b) A gente faz o seguinte: ressuscita o Bin Laden e lhe mata de novo.
(c) Nós faremos o seguinte: ressuscitamos o Bin Laden e  matamos ele de novo.
(d) Façamos o seguinte: a gente ressuscitamos o Bin Laden e  matamos de novo.
(e) Façamos o seguinte: nós ressuscitamos o Bin  Laden e matamos de novo.

12. Observe a imagem veiculada na internet
O texto verbal contém uma passagem em desacordo com a norma padrão da língua portuguesa. Corrige-se essa inadequação com a substituição de:

(a)   Vital por vidais
(b)  Tem por têm
(c)   Cuidá-lo por cuidar dele
(d)  A por à
(e)   Aprenda por aprende







Leia o texto para responder à questão 13 e 15.

                                            Quanto veneno tem nossa comida?

Desde que os pesticidas sintéticos começaram a ser produzidos em larga escala, na década de 1940, há dúvidas sobre o perigo para a saúde humana. No campo, em contato direto com agrotóxicos, alguns trabalhadores rurais apresentaram intoxicações sérias. Para avaliar o risco de gente que apenas consome os alimentos, cientistas costumam fazer testes com ratos e cães, alimentados com doses altas desses venenos. A partir do resultado desses testes e da análise de alimentos in natura (para determinar o grau de resíduos do pesticida na comida), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabelece os valores máximos de uso dos agrotóxicos para cada cultura. Esses valores têm sido desrespeitados, segundo as amostras da Anvisa. Alguns alimentos têm excesso de resíduos, outros têm resíduos de agrotóxicos que nem deveriam estar lá. Esses excessos, isoladamente, não são tão prejudiciais, porque em geral não ultrapassam os limites que o corpo humano aguenta. O maior problema é que eles se somam – ninguém come apenas um tipo de alimento.
                                             (Francine Lima, Revista Época, 09.08.2010)

13. Em – Esses valores têm sido desrespeitados, "SEGUNDO" as amostras da Anvisa. – a expressão destacada pode ser substituída, sem alteração de sentido, por

(a) conforme.
(b) por isso.
(c) logo.
(d) no entanto.
(e) tanto que.

14. “...porque em geral não ultrapassam os limites que o corpo humano aguenta.”  A expressões "porque" estabelecem, correta e respectivamente, relação de:
(a) modo.
(b) causa.
(c) consequência.
(d) objetivo.
(e) explicação.

15. Qual é a ideia básica apresentada no primeiro parágrafo?
(a) As graves intoxicações sofridas por trabalhadores rurais.
(b) A atuação da ANVISA na cultura de produtos orgânicos
(c) A importância dos agrotóxicos para uma agricultura orgânica.
(d) Os testes realizados pela ANVISA em ratos e cães.
(e) As dúvidas sobre o real perigo causado pelos pesticidas à saúde humana.


Leia o poema
Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênesis da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância…
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme — este operário das ruínas —
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há-de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!
Vocabulário
Rutilância: qualidade de rutilante, muito brilhante, resplandecente.
Hipocondríaco: em sentido figurado, triste, melancólico.
Carnificina: grande quantidade de corpos mortos; matança.
Carbono: composto orgânico presente em todos os vegetais e animais.
Amoníaco: gás que se encontra nas matérias em decomposição.
Epigênesis: teoria da geração dos seres por estágios graduais. No texto, pode significar origem.

16.  A linguagem do poema surpreende e modifica uma tradição poética brasileira, em grande parte construída com base em sentimentalismo, delicadezas, sonhos e fantasias.
a. Destaque do texto vocábulos empregados poeticamente por Augusto dos Anjos e tradicionalmente considerados antipoéticos.
__________________________________________________________________________________

b. De área do conhecimento humano provêm esses vocábulos?____________________________________

17. O poema tem como temática
(a) a influência dos signos do zodíaco sobre a vida humana.
(b) os medos enfrentados pelos homens durante a infância.
(c) a angústia diante da decomposição fatal do corpo humano.
(d) as doenças que levam o homem à morte
(e) A comprovação da existência de Deus.

18. Segundo os versos do poema, o eu lírico
(a) é uma pessoa cardíaca.
(b) declarou guerra a vida.
(c) sente-se um verme.
(d) considera-se um sofredor.
(e) considera-se um vencedor.

19. O verme representa para o eu lírico
a) uma doença         b) um predador         c) um aliado      d) uma solução     (e) uma esperança



“ Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário